lista de desejos

Tuesday, September 27, 2005

Quanta reticência

Eu gosto tanto de você
Que até prefiro esconder
Deixo assim ficar
Subentendido

Como uma idéia que existe na cabeça
E não tem a menor obrigação de acontecer

Eu acho tão bonito
Isso de ser abstrato baby
A beleza é mesmo tão fulgaz

É uma idéia que existe na cabeça
E não tem a menor pretensão de acontecer

Pode até parecer fraqueza
Pois que seja fraqueza então,
A alegria que me dá
Isso vai sem eu dizer

Se amanhã não for nada disso
Caberá só a mim esquecer
O que eu ganho, o que eu perco
Ninguém precisa saber

Tuesday, September 20, 2005

Definitivamente, eu ainda sou uma menina

Não vejo minha há mãe há três meses. Estou prestes a chegar de pára-quedas na casa dela, dormir uma noite e no outro dia ir embora. Ontem, quando cheguei do trabalho, minha cama estava repleta de presentes.
Entre eles, meu sapo q ela comprou em Gravatá para ajudar a enfeitar meu carro. Bem, chorei até não poder mais vendo tudo aquilo.
Liguei para ela imediatamente. E mama estava esperando ansiosa pela ligação. Disse que aquilo era para compensar a ausência.
Putz. Ela não sabe o quanto eu a amo.

Friday, September 09, 2005

Músicas que falam por mim II

Only When I Sleep

Ela diz tudo. É impossível ficar impassível diante dela.

You're only just a dreamboat
Sailing in my head
You swim my secret oceans
Of coral blue and red

Your smell is incense burning
Your touch is silken yet
It reaches through my skin
Moving from within
Clutches at my breasts

CHORUS:
But it's only when I sleep
See you in my dreams
Got me spinning round and round
Turning upside down

But I only hear you breathe
Somewhere in my sleep
Got me spinning round and round
Turning upside down
(Only when I sleep)

When I wake up from slumber
Your shadows disappear
Your breath is just a sea mist
Surrounding my body

I'm working through the day time
But when it's time to rest
I'm lying in my bed
Listening to my breath
Falling from the edge

It reaches through my skin
Moving from within
Clutches at my breasts

Tuesday, September 06, 2005

Músicas que falam por mim

Acredito que existem certas músicas que falam por você. Nem uma palavra precisa ser dita quando se tem uma música que é capaz de dizer tudo.

A lista de músicas que dizem quem eu sou e o que eu sinto é imensa. Até porque eu não sei viver sem um fonde ouvido e um bocado de MP3.

Para começar a série, uma que custou muito a aparecer na minha vida, mas que foi capaz de resumir cinco longos anos.

Black - Pearl Jam

Hey...oooh...
Sheets of empty canvas, untouched sheets of clay.
Were laid spread out before me as her body once did
All five horizons revolved around her soul
As the earth to the sun
Now the air I tasted and breathed
Has taken a turn

Ooh, and all I taught her was everything
Ooh, I know she gave me all that she wore
And now my bitter hands
shake beneath the clouds
Of what was everything?
Oh, the pictures have all been washed in black, Tattooed everything...

I take a walk outside
I'm surrounded by some kids at play
I can feel their laughter,
So why do I sear?
Hard and twisted thoughts that spin round my head
I'm spinning, oh, I'm spinning
How quick the sun can, drop away
And now my bitter hands cradle broken glass
Of what was everything?
All the pictures have all been washed in black, tattooed everything...

All the love gone bad
Turned my world to black
Tattooed all I see, all that I am, all I'll be...yeah...

Uh huh...uh huh...ooh...
I know someday you'll have a beautiful life, I know you'll be the sun,
In somebody else's sky, but why
Why, why can't it be, oh can't it be mine...

I don´t think
Think peoples understand
OH, they don´n understand
No one understand
We belong together

Monday, September 05, 2005

Pietá

Resisti muito até comprar e ouvir com calma o disco A Pietá, de Milton Nascimento. O motivo era muito simples: todo mundo comparou a obra aos discos do Clube da Esquina.
Como toda boa fã, não concordei de início. Depois de ouvir, ouvir e entender, continuo sem encontrar tantas semelhanças, a não ser no teor de algumas letras.
Por outro lado, tenho q dar o braço a torcer. O disco é lindo. Em cada faixa dá para sentir um claramente o trabalho dee Wagner Tiso e Márcio Borges.

E viva Bituca


Milton Nascimento
by Telo E Márcio Borges


andorinha voou, voou
Fez um ninho no meu chapéu
E um buraco bem no meio do céu
E lá vou eu como passarinho
Sem destino nem sensatez
Sem dinheiro nem pra um pastel chinês.

A andorinha voou, voou
Fez um ninho na minha mão
E um buraco bem no meu coração
E lá vou eu como um passarinho
Como um bicho que sai do ninho
Sem vacilo nem dor na minha vez.

A andorinha voa veloz
Voa mais do que minha voz
Andorinha faz a canção
Que eu não fiz
Andorinha voa feliz
Tem mais força que minha mão
Mas sozinha não faz verão.

A andorinha voou, voou
Fez um ninho na minha mão
E um buraco bem no meu coração
E lá vou eu como um passarinho
Como um bicho que sai do ninho
Sem vacilo nem dor na minha vez.

Friday, September 02, 2005

Os jornalistas

Minha mais recente leitura me fez entender o quanto nossa profissão é questionada, mal interpretada e cheia de conflitos.
"Os Jornalistas", de Honore de Balzac, explica tudo isso e mais um pouco. È incrível como uma análise feita no século passado é válida para os nossos dias.
Será que nós paramos no tempo?

É sempre bom passear na Assembléia

Definitivamente não existe outra função melhor no Jornalismo do que a de repórter. Ela nos prima com situações muito hilárias. A última delas foi esta semana. Lá vou eu pra Assembléia cobrir uma sessão especial em homenagem ao poeta Ascendino Leite.

Mentalmente, eu já pensei em toda a matéria e qual a melhor forma de deixá-la bem agradável. Trabalho em vão.

Depois de rodar pela AL, descobri q sessão tinha acontecido no dia anterior. Por via das dúvida, chequei a informação no calendário de pautas especiais. Realmente, tinha sido na tarde passada.

Comunico a informação ao jornal, que preferiu continuar acreditando que a sessão seria naquele dia.

Mais alguns minutos curtindo os ares do Legislativo e eis que eu consigo uma cópia da ata da sessão em homenagem a Ascendino, realizada na tarde anterior e com riquezas de homenagens. A ata tive que diexar no jornal

Só repóter passa por isso